Penso que alguns ditos populares contêm grande sabedoria. Um deles diz: dize-me com quem andas e te direi quem és. Realmente é uma grande verdade! Procure boas companhias. Se alguém o puxa para baixo, evite essa pessoa. Devemos ter uma percepção da energia ao nosso redor: pessoas, comida, bebida, drogas, filmes, livros, ambientes. Escolher o que é melhor para nós. E o que é melhor para nós?

Aqui uma palavrinha sobre autoestima: ter uma boa autoestima (indicador de saúde psicológica) significa gostar de si mesmo. O que é gostar de si mesmo? Muitos acham que é seguir todos os seus desejos. Este é um grande e perigoso engano. Autoestima não é fazer tudo o que temos vontade, e sim escolher o que nos faz bem. Ou, em outras palavras, liberdade não é tentar realizar todos os desejos, e sim ter domínio sobre os desejos.

Para dar um exemplo bem banal: vamos dizer que eu tenho vontade de só comer chocolate. Seria boa autoestima só comer chocolate? Claro que não! O desejo existe, mas segui-lo seria uma estupidez, e não autoestima. Autoestima é escolher aquilo que nos faz bem! O outro detalhe é que fazer sempre aquilo que desejamos pode conduzir a um egoísmo muito grande, onde só pensamos em nós, e nunca nos outros. É bom pensarmos em nós, e é bom realizar desejos dentro do que é sensato, porém sempre devemos nos perguntar como afetamos os demais, porque todos são nossos irmãos.

Nós não somos nosso corpo, mas o corpo é o templo do espírito. Isto significa que devemos cuidar bem dele. Nossa vida, nossa missão, depende da saúde de nosso corpo. Boa saúde não tem segredo: alimentação natural, exercício moderado, dormir bem, ter muito amor no coração.

Lembro aqui que o mestre Sai Baba, ao completar 70 anos, pediu à humanidade que as pessoas parem de fumar, de beber e de comer carne.

Outro dito é: o ócio é o pai de todos os vícios. É uma verdade indiscutível. Quando não temos nada para fazer, a tendência é pensar bobagem e fazer merda. Por isso devemos sempre procurar preencher nosso tempo com atividades criativas e construtivas. Certa dose de ambição é saudável. Devemos ter metas, devemos trabalhar pela realização de nossos sonhos. Disciplina e persistência são essenciais para obter êxito. Um de meus mestres, o John Pierrakos, dizia que o que caracteriza o homem é a disciplina (e a mulher, a entrega). Aquilo que é muito fácil, freqüentemente também não tem muito valor. Se algo é difícil e exige nosso esforço, traz a tona o que temos de melhor. Preguiça, inércia, apatia e dispersão, devem ser combatidas dentro de nós.

Baba disse: quem perde dinheiro, não perde nada; quem perde a saúde, perde alguma coisa; quem perde o caráter, perde tudo. Caráter significa que o homem tem uma palavra só. O que você promete, você cumpre. Se você marca uma hora, você está lá naquela hora. Se você tomou algo emprestado, você devolve quando prometeu. E se você não tiver possibilidade de cumprir alguma de suas promessas, não se omita, dê satisfação.

Está na Bíblia, Jesus disse: quando os tempos forem chegados, quem não estiver comigo, estará contra mim. Acredito que vivemos esses tempos a que Jesus se refere. Ele queria dizer que, nesta época, não dá para ficar em cima do muro. Existe o Bem e existe o Mal. Você tem que escolher qual caminho vai tomar, e assumir firmemente sua decisão, procurando ser coerente (unidade entre pensamento, palavra e ação). Claro que ninguém é perfeito, fazemos o que podemos, nos esforçando por melhorar sempre. Refletir sobre o sentido da vida sempre é muito bom, e é a marca da pessoa profunda.

Aprendi que podemos resumir esta complexa questão em duas palavras: dar e receber. Dar: dar o que, para quem? Dar o que temos de melhor, nossos dons e talentos. Para quem? Para quem precisar, para a sociedade. Fazer o bem sem olhar a quem (mais um dito).

Receber. Receber o que? As lições que a vida nos traz a cada momento. Aprender com nossos erros, para nos tornarmos pessoas melhores. Errar é humano, ninguém aprende sem errar, mas persistir no mesmo erro não traz aprendizagem. Eis aí, num pequeníssimo resumo, o sentido da vida.

Caso você não esteja se esforçando para dar o que tem de melhor, está perdendo tempo. E se não está aprendendo com a vida, está perdendo tempo.

Acredite, o tempo é precioso. Procure não desperdiçar tempo. Use bem o tempo, de forma inteligente. Veja o que sua alma precisa, e atenda. A sede de sua alma é o coração, não a cabeça. A cabeça é a sede do ego, que não passa de um monte de condicionamentos, em suma, o que você não é!

Abra o coração e siga sua alma. Não tem como dar errado.

Miklos Burger